A Giro Pagamentos é uma forma inovadora e fácil de realizar suas vendas, forneça a melhor forma de pagamento para seus clientes sem precisar se descapitalizar por isto.

Como fazer o parcelamento do IPVA

Anualmente, os motoristas que possuem veículos próprios têm que pagar o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores). Dentre as opções de pagamento, muitos optam por quitar o pagamento por meio do parcelamento do IPVA, disponível em todos os estados, de acordo com suas regras. 

O caminho mais comum para quitar o débito é por meio do próprio governo, mas vamos te contar, neste artigo, como você pode pagar o IPVA pela GIRO, da forma que mais se adequa à sua realidade financeira. 

O valor do IPVA é calculado seguindo a alíquota determinada pela Secretaria da Fazenda de cada estado; o valor é, então, multiplicado pelo valor do automóvel na tabela FIPE.

Entenda, abaixo, tudo sobre o parcelamento do IPVA, regras e possibilidades e, ainda, como evitar de ir parar na dívida ativa. 

Como funciona a cobrança do IPVA

Como adiantamos, o cálculo do tributo é gerado de acordo com o valor do veículo, segundo a tabela FIPE somado à alíquota de cada estado. Em São Paulo, a alíquota é de 4%. 

Então, para ter uma ideia prévia de quanto será o valor do IPVA do seu carro, estando ele documentado no estado de São Paulo, basta multiplicar o seu valor de mercado – consultando a tabela FIPE – por 4% de alíquota do estado. 

Imagine que o seu veículo tem um valor, segundo a tabela FIPE, de R$100.000. Basta multiplicar por 4% e o terá o valor do IPVA: R$4.000. 

A alíquota do estado varia de acordo com as características de cada veículo. Por exemplo, aos utilitários de cabine simples, motos, ônibus e micro-ônibus, é aplicada uma alíquota de 2%. Já aos caminhões, a alíquota é de 1,5%. Para saber qual a alíquota exata é aplicada sobre o seu veículo, acesse o portal do ministério da fazenda e planejamento.

Como é feito o pagamento do IPVA

O valor do IPVA e a forma de pagamento varia de acordo com cada Estado. Nós decidimos exemplificar como é feito o pagamento do IPVA, de acordo com a cobrança e formas de pagamento do Estado de São Paulo. 

Como já adiantamos, o valor do IPVA é calculado com base no valor do veículo e pode ser pago na rede bancária autorizada (guichê do caixa, autoatendimento, internet banking, débito agendado) ou nas casas lotéricas, apresentando o código RENAVAM – que está presente no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos – CRLV. Nesse caso, o pagamento pode ser feito à vista ou parcelado em até 5 vezes.

Além disso, o pagamento pode ser feito no cartão de crédito (à vista ou parcelado) em empresas credenciadas. A GIRO é uma empresa credenciada. Confira abaixo como realizar o pagamento parcelado do seu IPVA. 

Para saber sobre a cobrança e formas de pagamento do seu veículo, caso não seja de São Paulo, acesse o portal da fazenda do seu estado. 

Parcelamento do IPVA: possibilidades

Na GIRO, você pode parcelar o IPVA do seu veículo em até 18 vezes em apenas 3 passos:

1. Consulta grátis dos seus débitos

Aqui neste link, você seleciona o DETRAN, informa sua PLACA e o RENAVAM e consegue consultar os débitos do seu veículo. 

2. Escolha dos débitos 

Depois de consultar os seus débitos, você vai escolher quais deles deseja pagar.

3. Parcele o pagamento em até 18x

Com o débito que deseja pagar selecionado, você pode parcelar o pagamento em até 18 vezes no cartão. Se você tiver mais de um débito em aberto, é possível pagá-los, todos de uma vez, parcelados em até 18 vezes. 

Você poderá usar até dois cartões em seu pagamento

O que acontece se não pagar o IPVA

Se o IPVA não for pago dentro do prazo estipulado e passar da data de vencimento, o tributo sofre uma multa que, em 2022, foi de 0,33% por dia. O limite do atraso é quando a multa chega a 20%, cerca de 60 dias depois da data do vencimento.

Além da multa diária, o IPVA, quando vencido, pode acumular juros mensal de acordo com a taxa Selic. O proprietário do veículo que não pagar o imposto dentro do período estipulado ainda poderá entrar na dívida ativa –  cadastro usado pelo governo para reunir as informações de pessoas que possuem algum débito em aberto com ele.

Dívida ativa: saiba como pagar

Dívida ativa: o que é e como evitar

A dívida ativa é o cadastro usado pelo governo para reunir as informações de pessoas que possuem algum débito em aberto com ele, seja este débito relacionado à impostos – como no caso do IPVA, ou taxas de ocupação, multas etc. Sempre que algum débito entre cidadão e governo não é quitado, ele se torna uma dívida ativa.

No caso do atraso ou não pagamento do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor), o proprietário gera um débito na Dívida Ativa do Estado. O governo opta pelo cadastro de contribuintes na dívida ativa, porque precisa do pagamento dos débitos que, como já falamos, retornam para os cofres públicos em forma de investimento em transporte, saúde, educação, além de custear dívidas administrativas da máquina pública.

O atraso e débito ativo do IPVA ainda pode causar outras dores de cabeça para o proprietário, além de multas,  não consegue seguir com o licenciamento do veículo – que, consequentemente,  pode ser apreendido ou, então, passar o veículo para outro dono, numa venda bastante difícil diante da dívida.

Para evitar a dívida ativa, o único caminho é manter os seus débitos com o governo regularizados. A GIRO te ajuda a regularizar e quitar todos os seus débitos, de forma prática, segura e com opções de parcelamento do IPVA em até 18 vezes. Saiba mais, aqui.

Gostou do conteúdo? Compartilhe.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email